Empreenda Melhor A Leptospirose

19 Feb 2018 09:43
Tags

Back to list of posts

is?aHHtuds44dmPJtv8_nnLvn0GSGZ6BVDCHR0QJMY084M&height=240 O que é leptospirose canina? O meu cachorro pegou um rato, é perigoso ele estar com leptospirose? Leptospirose canina pode ser transmitida pro ser humano? Meu cachorro tomou vacinas, mesmo deste modo ele poderá ter leptospirose? Como se pega leptospirose? Quais os sintomas de um cachorro que tem leptospirose? Há mais de um tipo de leptospirose?Meu cachorro imediatamente teve leptospirose e se recuperou, ele pode ter leptospirose novamente? Como prevenir que meu cachorro pegue leptospirose? Muita gente que tem cães certamente imediatamente se deparou com outras dessas questões. Primeiro é interessante manifestar que a leptospirose é uma doença que afeta diversos tipos de animais, não apenas os cães e que ela ocorre em todo o mundo.O corpo humano que circunstância a leptospirose pertence a um grupo de organismos parelhos às bactérias, eles possuem um estilo espiralado e são conhecidos como leptospira. Estes organismos estão presentes pela natureza, e vários deles são encontrados no meio ambiente e não causam danos aos animais. Mas alguns destes organismos infelizmente causam grandes estragos quando entram em contato com o corpo de outros seres vivos.O que é a leptospirose canina? Por volta de 230 diferentes tipos de leptospira imediatamente foram identificados. E apenas alguns deles são populares por produzir doenças em cães e gatos. Os quatro primeiros são os mais comuns que infectam os cães. Segundo informação de veterinários os casos são mais frequentes no verão e no outono, eventualmente por nestas épocas os animais estarem mais do lado de fora de casa, em jardins e praças, entrando mais em contato com a natureza. Bem como é nessa época do ano que os períodos de chuvas são mais frequentes e dessa forma a leptospirose torna-se endêmica após fortes chuvas.A doença é mais comum em lugares como o Brasil com clima ameno e tropical. Regiões com temperaturas muito baixas eliminam a incidência da doença porque a leptospira não suporta temperaturas próximas ou abaixo de zero. Elas bem como morrem muito rapidamente em regiões secas, entretanto são resistentes em terrenos alagados, úmidos e com lama. A leptospirose é transmitida por animais de diferentes espécies (roedores, suínos, caninos, bovinos) para os seres humanos e cães, e se multiplica apenas em seu hospedeiro, a leptospira pode sobreviver indefinidamente nos rins dos animais infectados sem gerar nenhum sintoma. Fora do hospedeiro ela sobrevive só em locais com muita umidade, com água parada, onde ocorrem enchentes, nestes locais a bactéria leptospira consegue sobreviver até 180 dias.E como neste momento comentei previamente, é em épocas, que temos períodos constantes de chuvas que se intensifica o perigo de contaminação na leptospirose. A Leptospirose atinge órgãos vitais dos seres vivos, como os rins e fígado e se dissemina pro baço, sistema nervoso central e pode surgir a atingir até os olhos.Como acontece a transmissão da leptospirose canina? Por esse caso, a leptospira se impõe nos rins do animal. Esse animal torna-se um hospedeiro da leptospira e desta forma, um transmissor da doença. Esses espécimes de animais são os mais distintos e variam de acordo com cada localidade, os ratos e os gambás podem ser os transmissores mais comuns, mas definitivamente não são os únicos. Quando um destes animais faz xixi, ele contamina o local com a leptospira viva, disseminando a leptospirose por uma extenso região. Às vezes, contaminando o meio ambiente por meses e algumas vezes, por toda a vida.152 "Cell absorve o Androide Nº dezessete!" Os Robôs Não Resistem ao Cell 12 de Agosto de 1992Beats poderá ser dobradoFica bem sozinho: 3quarenta e dois "O Rei do Skate" vinte e sete de novembro de 2010noventa e oito O que é valor enciclopédicoCausar arrepio nos mais sensíveisGABRIEL FELIPE falouTeu cachorro podes ser infectado pela leptospirose somente por cheirar esta urina. Mais frequentemente, a leptospira é levadas pelas chuvas e resiste um agradável tempo em água parada. Assim se teu cachorro brincar, nadar ou consumir uma água que esteja contaminada pela leptospirose, ele será capaz de criar a doença. Bem que esta seja a forma que a leptospira costuma ir de animal pra outro animal, ela assim como será capaz de entrar pela corrente sanguínea a começar por uma ferida mal cicatrizada ou até já por uma mordida ou um alimento que esteja infectado. Em consequência a esses fatores, cães de trabalho que passam muito tempo em áreas arborizadas ou pantanosas são mais propensos a segurar leptospirose.Cachorros que vivem dentro de casa ou em áreas com menos animais transmissores, correm menos riscos de montar a leptospirose. Resumindo, a leptospirose penetra no corpo humano do cachorro de lado a lado das mucosas ou da pele lesionada, por contato direto com outros animais infectados, ou por transmissão indireta, com um animal susceptível ficando exposto a um recinto contaminado. Após quatro a 11 dias do contágio, a bactéria alcança a corrente sanguínea, multiplicando-se mais rápido causando a leptospiremia. Quais são os sintomas da leptospirose canina?Existem sintomas típicos que os veterinários associam com a leptospirose. No entanto esta é uma doença que ataca cada cidadão de forma diferente, tornando em sintomas distintos e dessa forma, nem sequer todos os sinais inconfundíveis estarão necessariamente presentes em todos os cachorros infetados com leptospirose. O quadro dependerá das condições imunológicas, idade, fatores ambientais e virulência do sorovar. A leptospirose nos cães pode se apresentar em 3 quadros, peragudo, agudo ou crônico.Nos quadros crônicos, os sinais clínicos podem não ser tão percebíveis. Pode haver febre sem circunstância aparente e bem como conjuntivite. Também, distúrbios hepáticos e renais. No quadro peraguda, o animal poderá apresentar intensa leptospiremia, choque, evoluindo para a morte mais rápido. Nos quadros agudos os sinais clínicos são febre, leucocitose e albuminúria. O diagnóstico é feito por intermédio de exames laboratoriais, como urinálise, hematologia, sorologia e identificação da bactéria no tecido. Os sintomas que comentamos acima, adicionados ao histórico da rotina de teu cachorro, farão com que teu veterinário suspeite da doença.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License